ShareThis

20 setembro 2010

Liturgia, apenas... Ou, A Santíssima Burocracia.


Livro: Constituição Sacrosanctum Concilium Sobre a Sagrada Liturgia
Subtítulo: (Coleção A voz do papa) Concílio Ecumênico Vaticano II
Autor: Paulo Bispo, servo dos servos de Deus, juntamente com os padres do concílio para perpétua memória.
Editora: Paulinas
Páginas: 74

Não que eu esperasse mais deste livro do que o título propõe. Já sabia que se tratava apenas de um manual informativo sobre liturgia católica.

O presente manual foi feito após o Concílio Vaticano II, ocorrido entre 1961 e 1965.

Dentre tudo debatido neste período, um dos destaques foi a necessidade de adaptar a liturgia da igreja pensando nas mais diversas culturas e línguas.

Sendo que, de todas as medidas, o grande carro chefe de tudo foi, finalmente, eles perceberem que a liturgia missal deveria ser celebrada na lingua do país onde a missa é realizada (antes era celebrada em Latim).

Um avanço, sem sombra de dúvida.

Mas liturgia... Bem, esta palavra não me entra de jeito nenhum.

Claro que a liturgia cristã são atos simbólicos para relembrar os mais diversos feitos de Jesus. Acho historicamente legítimo. E até certo ponto, dependendo do grau de instrução das pessoas, tem lá seu caráter didático. 

Porém, não podemos comparar isto ao verdadeiro espírito livre e religiosamente rebelde que o Mestre carpinteiro de Nazaré propunha na época que veio.

Tanto que, um dos grandes motivos por ele (Jesus) ter sido brutalmente assassinado foi exatamente o fato de ir contra os dogmas litúrgicos que os judeus com tanto zelo defendiam.

Jesus pregava a espiritualidade livre, que podia ser encontrada em qualquer lugar; num bate papo informal com alguém que cruzava seu caminho; na solidão dos desertos e montes; na convivência com pessoas de todas as classes sociais, etc.

Jesus só foi umas três vezes ao templo de Jerusalém depois que iniciou seu ministério. Nas duas primeiras visitas quase foi apedrejado, na terceira o crucificaram.

Isso, no mínimo, quer dizer alguma coisa não é?

Ao que parece, Jesus e religiosidade não se batiam muito bem.

Dois mil anos depois, vemos as igrejas institucionais protestantes e católicas transformarem a mensagem de Jesus naquilo que ele mesmo combateu quando estava peregrinando por esta terra.

Ceia, batismos, confessar pecados, conversar com Deus, a oração do Pai Nosso, o Templo do Espírito sendo nossos corpos e não templos feitos por mãos humanas. Tudo isso transformado em rituais e símbolos litúrgicos novamente.

Quanto ao presente manual de liturgia, para quem é católico ou para quem quer conhecer mais sobre os mais diversos símbolos ritualísticos da celebração da missa, é recomendável ler para que, ao participar, você tenha pelo menos consciência daquilo que é representado nos ritos.

Para mim, esta leitura reforçou mais a idéia de que a religião, como um todo, mais burocratiza do que aproxima o homem à Deus.

Jesus, mais do que ninguém, sabia disto e proclamava esta verdade aos quatro ventos. E todos nós sabemos que fim ele e seus discípulos tiveram.

Paz a todos!

E o sincero desejo de menos religião e mais espiritualidade!

Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali estarei no meio deles.
Evangelho de Mateus 18:20

Assista o vídeo abaixo e veja porque eu amo religião: 



Relevem a ironia cretina...


*    *    *    *

Pessoal, meu grande amigo (e também blogueiro) André Rodrigres http://avidadentrodeumafantauva.blogspot.com/, além de escrever é também desenhista.

Ele homenageou meu blog com um desenho muito legal que faço questão de publicar aqui no Mundo Facundo! Me sinto honrado cara! Muito obrigado!

Abaixo, a homenagem do André ao blog Mundo Facundo:


Abraço a todos!

6 comentários:

andreia inoue disse...

ola!!
esse livro deve ser bem interessante,principalmente para os completamente leigos(eu).
:D
e fiquei chocada com o video,que descontrole heim?parecia ate que estava possuido,hahaha...
e voltando ao seu texto,achei super bacana o que vc escreveu sobre menos religiao e mais espiritualidade,acho que no lugar de se preocupar tanto com as igrejas ou seitas ou seja la com o que for,seria mais valido pegar uma biblia e tentar entender a palavra de Deus.
um abracao.

Marcio Nicolau disse...

Pra variar, vc disse tudo: menos dogma, religião e mais espiritualidade!

Anônimo disse...

Fico preocupado em ver uma cambada de desocupados acrescentando coisas a palavra de Deus,o que precisamos é de uma doutrina verdadeira,viva e eficaz e não de dogmas litúrgicos.A paz de Cristo

Não Identificada disse...

George, legal o texto. Gostei mm.

Mas eu vejo a Vontade de Deus, manifestada na Pessoa de Jesus de forma diferente. Alguns deturpam a interpretação Bíblica, e os ensinamentos de Jesus para explicar o seu relativismo. Com sabedoria e discernimento a gente começa a compreender os textos e parabolas de Jesus: Ele repreendia sem dó os fariseus,por suas vaidades. Lembre-se do quanto os fariseus se intitulavam perfeitos e vaidosos, e não buscavam viver pelo Espirito, e se abster dos prazeres carnais, por que não buscavam pela fé. Jesus conhece o coração de cada um, e quer que nos entreguemos de todo o coração. Aí está a diferença.

Lembre-se do tanto de dinheiro que Salomão gastou para construir o Templo, e Jesus quando veio, vestia as mais simples vestes.

Jesus disse aos fariseus que as prostitutas são mais importantes que eles, e olhe que Deus afirma aos que se prostituirem, não herdarão o reino dos céus.

Simplesmente,por que os fariseus que se diziam "filhos de Deus", e não eram. Deus durante toda a Biblia demonstra claramente a sua indignação quanto aos que se "intitulam" filhos, mas não agem como tal.

Entende o que quero dizer?

Jesus veio para contrariar o fingimento, e a falsa "entrega" ao Senhor, dos fariseus.

Não vamos confundir que Jesus quer que esqueçamos da verdadeira doutrina cristã, e nos entreguemos à sãs doutrinas.

Ele quer o nosso coração!

Bjos
Cicilia Pucci

VAI NA FE QUE DA! disse...

Muito bacana o desenho sobre o seu blog, curti!! meu valeu pelo comentário novamente..
abs

Thâmara Cristina disse...

Oi, passando só pra dizer que estou viva sim, mas ainda sem internet, sem tempo e com a vida mais louca do que nunca, porém em fase de resolução. Então bjão, bjão e voltarei em breve!!