ShareThis

23 junho 2010

Um Clássico do Velho Buck!



Livro: Hollywood
Autor: Charles Bukowski (1920 - 1994)
Editora: L&PM POCKET
Páginas: 245

Você!

É, você mesmo!

Imagine-se perambulando em alguma periferia pobre, ou num grande centro de alguma capital.

Então você se depara com bêbados, prostitutas, velhas desagradáveis, vagabundos, gente aí, jogadas na rua sem propósito.

E mais! Some estes personagens citados à brigas em bares imundos, gritos, palavrões, vômitos, chutes, cacos de vidros espalhados pelo chão, cafetões mal encarados, e tudo o que de mais mazelado sua limpa imaginação pode pensar.

Você vê tudo isso e pensa: Credo, Deus me livre!

Mas Charles Bukowski olha para esse cenário e pensa: Porra! Isso daria uma ótima história!

Esta era a natureza por trás da literatura de Bukowski.

O cara foi praticamente canonizado como o santo padroeiro dos bêbados e vagabundos!

Bukowski, como um bom bêbado encrenqueiro que era, tinha em boa parte do que escrevia um toque auto-biográfico.

Este bêbarrão, como ninguém, conseguia retratar com um realismo que beira ao desespero e, acreditem, ao humor, os mazelados e marginalizados.


                     Bukowski em casa, inspirando-se para escrever.

No caso de Hollywood, trata-se de um romance inspirado na experiência que o autor teve, desafiado por um produtor excêntrico, de escrever um roteiro para o cinema. É muito divertido ver os bastidores de Hollywood sob as lentes dele!

Definitivamente, um verdadeiro clássico de Bukowski.

Neste presente blog, a umas postagens atrás, resenhei sobre um filme brasileiro chamado A Casa de Alice. Escrevi sobre o fato de gostar de filmes que retratam a vida sem maquiagem, nua e crua!

Segue abaixo um pequeno fragmento da resenha acima citada, e com isso me despeço:

Sou, por natureza, um grande pessimista!

Penso que, devido a minha própria condição, sempre tive predileção por livros e filmes que retratassem a desesperança. Porque, pra ser bem franco, é mais fácil acreditar nela.

Daí vem minha doente atração pelos perdedores.

Por isso sou apaixonado pela literatura de Charles Bukowski (1920-1994), escritor americano considerado o grande profeta dos perdedores e mazelados deste mundo sem sentido.

Bukowski revela e esmiuça o anti-sonho americano; um mundo de marginais, viciados, bêbados e prostitutas, dos quais só não se pode dizer que estão na sarjeta porque sempre decaem um pouco mais.

Assim como na história do filme A Casa de Alice e minha própria vida, Bukowski descreve as pessoas tal qual na vida real, retratadas de forma triste, divertida, escatológica e universal, em toda sua vulgaridade e realidade.


Boa Leitura!

7 comentários:

Celsina disse...

Já tinha ouvido falar bem pouco de Bukowski, mas nunca tinha dado muita importância por isso ainda não tinha procurado nenhuma obra dele, agora que sei um pouco mais de como é a sua literatura me interessei bastante. Gosto de autores que retratam a realidade bem como é.

Já ouviu falar de Neil Gaiman? Que escreveu Coraline (tem inclusive um filme), eu gosto do jeito ora macabro ora irônico que ele escreve, acho que você pode gostar. Estou lendo agora Sandman (um quadrinho super famoso de Gaiman – logo, logo sai a resenha).

P.S: Gostei imensamente da sua resenha de baixo (A Bíblia De Jerusalém), você ainda vai me convencer a ler a bíblia ou outros tipos de Bíblias, qualquer dia desses =)
ahh... e suas resenha são melhores que as minhas!
:p

Gael disse...

Instigante! Não li nada de Bukowski, mas sem dúvida ao findar com minhas seções poéticas literárias a que venho me dedicando, já terei agora rumo a seguir e irei a procura do mesmo.

Grato pela resenha cara!

Abração.

Priscila disse...

Olha eu aqui denovo! estou virando fã do seu blog. Adoro sua escrita leve e simples! E falando logo de quem? do velho bukinho! bem, eu sei que ele desdenharia tal espécie de carinho, mas fazer o que, néa? fã é fã! li o Hollywood, mas ainda não encontrei o Barfly para assistir. Assisti a um outro filme, o Crônicas de um amor louco, mas não gostei muito do que fizeram dele. muito certinho, padronizado, limitado, enfim.. acho que faltou um pouquinho mais de profundidade no personagem.. mas, cada qual com sua opinião. E ainda acho que o misto quente é o melhor dos que li até hoje.. um beijo!

Katariny disse...

eu não sabia não, qual teu horário lá?

sobre o Bukowski, eu tô lendo um livro dele... meu namorado que me emprestou "NUMA FRIA". Ele coleciona os livros dele.

Maycon Aguiar disse...

Sua resenha me provocou curiosidade. Não é comum um autor feito Bukowski chamar minha atenção, mas suas palavras a despertaram. Agradeço pela recomendação, e até mais.

Abraço! ;)

Anônimo disse...

Ai gente..me parece mto interessante ver a vida dessa forma...Mas eu prefiro ser otimista kkkkk
Ass. Cicilia Pucci

ccauan disse...

sempre muito louco ler um old buck!
mas george, toma cuidado, mah! bukowski deixa as pessoas lo0ucas!
e tu já é louco, mah! cuidado com as overdoses de loucura ;P
huehehehehehehe
ah, leia factótum, tu vai curtir muito mah! mr. chinaski fode!
huehehehehehehehehe ;D