ShareThis

05 junho 2011

Para Nerds e afins




Livro: O Guia Do Mochileiro Das galáxias - Volume Um Da Triologia De Cinco
Autor: Douglas Adams (1952 – 2001)
Editora: Sextante
Páginas: 208

Algumas piadinhas para começar:

Estava brincando de esconde-esconde Einstein, Newton, Pascal, Galileu Galilei entre outros grandes nomes da Física.
Era a vez de Einstein tampar a cara e começar a contar enquanto os demais se escondiam.
Todos conseguiram um esconderijo com exceção de Newton, que sobrou.
Tentou Newton se esconder atrás do sofá, mas levou um chega pra lá de Pascal:
- Eu já tô aqui, vai se esconder em outro lugar!
Tentou então se esconder atrás da cortina, mas lá estava Galileu.
Sem opção de esconderijo, Newton pegou um giz e desenhou um quadrado com arestas iguais a 1 metro no chão da sala, e ficou ali em cima do quadrado.
Einstein termina a contagem e de cara encontra Newton:
- Newton! Já te achei cara! Você não se escondeu não?
- Opa! Pera aê! Mas eu sou Pascal!

Entendeu? Não!? Ok, tentemos novamente:

O que disseram para o hidrogênio quando ele foi preso?
- Você tem direito a uma ligação!
E o que ele respondeu?
- Mas eu não tenho família!

Ainda não!? Vamos lá, não desista! Mais uma então:

O que o carbono disse quando foi preso?
- Eu tenho direito a 4 ligações!

Ainda sem entender? Tá, mais uma sequência de piadas bem rápidas:

Por que o urso branco se dissolveu quando caiu na água?
Porque ele era polar!

O que 6 carbonos de mãos dadas estão fazendo com 6 hidrogênios na igreja?
BENZENO!

Qual é o bicho que tem entre 3 e 4 olhos?
O pi’olho

Um ladrão roubou uma joalheria e levou um anel benzênico.
Resultado: mandaram-no pra cadeia carbônica! Mas não tem problema, porque ele fugiu pagano C3H4 (propino)!

O que acontece quando se excita o elétron?
Ele fica com o spin pra cima!

Porque a célula foi ao psiquiatra?
Porque ela tinha complexo de golgi!

Porque o martelo e a tesoura são hidrocarbonetos?
Porque o martelo é propino, e a tesoura é propano!

Qual barulho um elétron faz quando arrota?
Bohr!

Qual barulho um elétron faz quando cai no chão?
Planck, Planck!

Por que não se pode comer um elétron?
Porque ele tem spin.

E aí? Deu boas gargalhadas?

Se a resposta for negativa, acho que há uma boa probabilidade de O Guia do Mochileiro Das Galáxias, definitivamente, não ser a sua praia literária.

Se, contudo, você gostou apenas de algumas, e mesmo não entendendo todas as tiradas cômicas destas piadas, assim como também as da série The Big Bang Teory, ainda assim gosta e até ri em certos momentos (que é o meu caso), penso que vale a pena tentar ler O Guia do Mochileiro das Galáxias.

E se você se esbaldou de rir das piadas, acha o Sheldon (The Big Bang Teory) um personagem genial, assim como todo o roteiro da série e é um estudante aplicado do universo das exatas, penso que O Guia do Mochileiro das Galáxias vai ser um dos livros mais espetaculares que você já leu na vida! Sem exagero! Pois, antes de escrever esta resenha eu tive o trabalho de ligar para todos os meus amigos cabeçudos das mais diversas áreas das exatas e o que ouvi no fone foi um som quase que orgásmico de satisfação ao falarem do livro.


Gosta? Então leia!


Eu, apesar de ter um cérebro, digamos, pouco privilegiado e bastante limitado para assuntos científicos, gosto muito de The Big Bang Teory, e voltando algumas décadas, gosto muito do grupo Monty Python, que entre anos 60 e 70 foram um grupo de comédia britânico que, com seu humor refinado para inglês ver, fizeram rir muitas gerações.

Se você ainda não assistiu aos filmes Em Busca Do Cálice Sagrado (1975), A Vida de Brian (1979) e O Sentido da Vida (1983) (todos estes filmes do grupo Monty Python), corra agora para a locadora e alugue porque você praticamente ainda não viveu!

O grupo Monty Python foram pioneiros do chamado Humor do Absurdo. Estilo de humor que influenciou filmes como Corram que a Polícia Vem Aí (1994), Top Gang - Ases Muito Loucos (1991), Apertem Os Cintos - O piloto Sumiu (1980)! etc.

Claro que Monty Python é muito melhor!

E Douglas Adams, na época áurea do Monty Python colaborou em muitos episódios. E muito deste humor absurdo ele com certeza levou para a série O Guia Do Mochileiro Das Galáxias, primeiramente como estórias narradas para a rádio (BBC de Londres) e, posteriormente, transformada em livro no final da década de 70.

O primeiro livro narra o começo desta jornada louca na vida de Arthur Dent, um típico inglês fleumático que tem um dia difícil por ter sua casa demolida para a construção de um desvio e que, se isso não bastasse, é resgatado da destruição da terra por seu melhor (e talvez único) amigo Ford Prefect, que revela que é na verdade um alienígena.

A terra foi destruída pelos Vogons, que fizeram isso porque o planetinha estava exatamente na rota da construção de uma espécie de Via Intergaláctica.

Daí o pobre Arthur, confuso e atônito, embarca nessa aventura pelo universo rodeado de personagens, digamos, muito loucos (para dizer o mínimo) numa odisseia mergulhada em situações bizarras e absurdas.

Questões como o sentido da vida, as grandezas das leis físicas, teorias psicológicas e astronômicas do mais alto nível acadêmico, a religião, e claro, a boa e velha burocracia britânica são os ingredientes para que a genialidade de Douglas Adams crie esse enredo maluco e engraçado que envolve o leitor página após página.



Douglas Adams


Claro que, dentro de minha limitação, passei batido em muitas das piadas que, para entender, teria que ter sido um bom aluno de física e matemática. Nunca pensei que fosse me arrepender de, quando não dormindo, ter ficado no fundo da sala folheando revistas de mulher pelada nas aulas do primeiro e segundo grau.
                                  
Logo vou ler os outros livros da série e com certeza falarei neste blog novamente sobre eles!

E isso! 

9 comentários:

andreia inoue disse...

Eu também passo batida em relacao a todas as piadas que envolva matematica,fisica e quimica.
:/
e tenho que ler essa serie com urgencia,esta na minha listinha,so falta tempo,
um abracao.

Roberto Cleyber disse...

Que, que é isso George? Pra quem se diz um não Nerd, você fez um fantástico trabalho de pesquisa. E escreveu mais um excelente texto, mah! Eu mesmo não entendi a primeira do newton no quadrado, mas depois vc me explica, tá. Quanto as outras vou até copiar pra usar em sala de aula.
São engraçadas e didáticas. Quanto ao seu livro, um ano com C.S. Lewis, eu ainda preciso retomar a leitura pra terminar, mas assim que acabar eu vou querer entrar na fila desse Mochileiro das Galáxias.
Um abração!

Frido disse...

HAHAHAH Mais uma vez. Chega a ser redundante todos os meus comentários sobre os teus textos. P E R F E I T O ! Amei!
Adoro O Guia do Mochileiro das Galáxias e suas sequências. Adoro The Big Bang Theory... E adoro o humor inglês.. haha Consigo rir de tudo!
Acho que adoro tbm ficção cieentífica, viagens espaciais e um certo maravilhamento pelo futurismo...

Lucas Queiroz disse...

Apenas um comentário: 42 !!

F. Otavio M. Silva disse...

olá, é um prazer muito grande estar conhecendo alguem como você, alguem com um estilo único para escrever, gsotei muito. Sei que ainda sou apenas uma aspirante a escritor perto de você, mas ficaria muito feliz se passasse no meu blog http://otaviomsilva.blogspot.com/ .
Forte abraço, Otávio

Rafael disse...

Valeu por comentar lá no blog!

Estou querendo dar uma lida nesse livro mesmo...

Abraço

Celsina disse...

Tenho que admitir: Eu sou nerd.

A começar por fazer e amar física (astrofísica), adoraaaar o Sheldon (haha) e para completar sou blogueira viciada em livros e adoradora da Scientific American...

Enfim, sou nerd. Mas ainda não li essa série (não me pergunte poque)

Bjs!

Weslley Almeida disse...

Ri com algumas piada, apesar de não mandar bem em química. Abordagem cômica e criativa desse mundo complicado. Acho que valeria a pena a leitura se o livro fosse R$ 1.99. :]
Abração, cabra!

Marina Ribacki disse...

O guia do mochileiro das galáxias é muito perfeito, dá vontade de rir a cada página (que se consegue entender), e The Big Bang Theory é minha série favorita :D
Ah, muito bom teu blog, mesmo :D