ShareThis

17 julho 2012

Resenha (Filme): Chernobyl - Sinta a radiação (2012)




Filme: Chernobyl - Sinta a radiação
Diretor: Bradley Parker
Ano: 2012
País: EUA

Eu colecionava uma revista de música à tempos atrás que tinha uma forma curiosa de distribuir notas para os álbuns. Da nota mais alta a mais baixa era mais ou menos assim: Clássico - Muito bom - Bom - Regular - (e agora entra a pior nota possível) - Só para fãs!

Pois é. O fã é aquele carinha que já, há muito, perdeu sua capacidade de ser um exímio crítico. Pois o mesmo já foi fisgado, já é ovelha convertida, essas coisas.

Pois muito bem, este é exatamente minha dificuldade de criticar filmes de zumbis. Pois eu sou um fã ardoroso de filmes desse gênero. E não quero aqui passar a mão na cabeça de um filme de zumbi só porque eu gosto.

Então é o seguinte, e vou ser bem sincero. O que atraiu-me a ver esse filme além do fato de eu entender no trailer que se tratava de um filme de zumbi, é que foi feito pelos mesmos produtores do clássico Atividade Paranormal (2007).

Diante dessa mistura, achava que ia sair um filme fodástico. Mas que nada, infelizmente nem o clima sombrio do submundo do leste europeu conseguiu salvar o filme. A questão foi exatamente roteiro. A história é mais ou menos simples. Um grupo de jovens aventureiros, em passagem pelo leste europeu a caminho da Rússia, resolvem fazer um turismo diferente, visitando uma cidade abandonada nos arredores de Chernobyl. Pois na época do acidente nuclear, as cidades próximas da usina foram abandonadas, e a cidade ficou com tudo intacto.

Enfim, por algum motivo, quando eles chegam na cidade, algumas coisas dão errado. Eles tomam sustinhos bem clichês, e misteriosamente a van aparece com o motor quebrado. Daí são obrigados a passar a noite lá e, assim, começa a trama toda, pois percebem que não estão sozinhos na cidade.

Depois do excelente filme Albergue (2005), tudo o que se relaciona ao leste europeu me assusta. Se você por acaso viajar pra lá, jamais aceite convite de estranhos para fazer seja lá o que for. O povo lá adora roubar um fígado. E esse filme começa exatamente assim. Um grupo de jovens que aceitam o convite para  uma aventura única. E nem tem o cuidado de avisar aos amigos do facebook ou à família a onde iam, para o caso de desaparecerem o povo pelo menos ter uma ideia de onde procurar.

Enfim, resumindo, uma ótima ideia, porém com um roteiro fraquíssimo. Então, com muita ressalva, acho que esse é o tipo de filme "só para fãs". E mesmo assim, até um fã é capaz de se decepcionar. Como eu por exemplo.

Veja trailer do filme:


3 comentários:

andreia inoue disse...

eu vi o trailer no cinema e fiquei com muita vontade de assistir,parecia ser super assustador.
Sua resenha me desanimou um pouco,mais acho que mesmo assim,irei conferir.
:D
um abracao.

Anônimo disse...

Faço da minha crítica a sua, concordei plenamente, tinha tudo para ser um filmaço, principalmente pelo clima do lugar, mas deixou muito a desejar...foi uma pena!

Anônimo disse...

Discordo... Achei um bom filme... Uma referencia a tragédia ocorrida em abril de 1986... E achei assustador tmb... Imagina se as pessoas vêem passeios como algo perigoso, tudo foi uma surpresa... Pra ser sincero, acho a história real muito assustadora... Até hoje aquele lugar abandonado... Inabitável... Mexe com o consciente...