ShareThis

24 julho 2012

Resenha (Filme): Valente (2012)



Filme: Valente (EUA - 2012)
Diretor: Mark Andrews, Brenda Chapman
Estúdio: Pixar, Walt Disney

Sabe quando você confia tanto em um diretor, ou ator, que quando você vai ver o cartaz do filme que tem o nome deles você vai assistir sem nem pensar e dificilmente sai decepcionado?

Pois é, geralmente acontece a mesma coisa comigo quando vejo Pixar no cartaz de um filme.

Todos os meus amigos que tem filhos meio que se obrigam a, periodicamente, ir ver filmes infantis no cinema com eles. E dá logo para ver a cara de desânimo desses pais, pois boa parte dos filmes infantis tem um certo efeito sobre as crianças, mas para os pais é uma verdadeira chateação ter que aguentar uma hora e meia de filme por amor ao entretenimento dos filhos.

E esta é para mim a grande sacada da Pixar. Por que eles pensam no público infantil, porém também fazem questão de tocar a sensibilidade dos adultos que levam as crianças para ver os filmes. Então, o resultado é, literalmente, diversão para toda a família.

E Valente não é diferente!

O filme é um tema novo dos estúdios Pixar. Eles exploram o universo da mitologia escocesa para narrar a história da princesa rebelde Merida.

Merida é uma garota que, dentro do universo tradicional da monarquia antiga de qualquer país, nasceu para ser prometida em casamento a um príncipe. Porém ela não vê nisto algo bom e tradicional. Ao contrário, encara isso como um grande crime à sua liberdade. Ela simplesmente detesta a pompa da realeza e tem como grande prazer cavalgar livre pelas montanhas e, principalmente, ser uma grande arqueira.

Enfim, apesar da narrativa simples e previsível, pois você percebe que se trata na verdade da temática do choque de gerações, principalmente em torno dos conflitos entre pais e filhos, os diretores conseguiram narrar esta história com grande beleza e sensibilidade. E claro, muito senso de humor.

Na sala de cinema era uma delícia perceber crianças e adultos caindo na gargalhada em alguns momentos, e também se emocionarem em outros.

Ainda bem que a Pixar mantêm a tradição de produzir bons e belos filmes. Sempre preocupada em, por trás de toda narrativa, transmitir princípios positivos para todos que o assistem. Você sai da sala de cinema com aquele sorrisinho no rosto pensando que valeu cada centavo pago no ingresso.

Obviamente não é o melhor filme que a Pixar já fez. Mas também não quer dizer que é ruim. Pois a Pixar se garante tanto que até o bom que ela faz é ótimo! Então vá ver sem medo pois é diversão certa!

p.s. - Claro, quase ia esquecendo de mencionar os tradicionais curtas que rolam antes do filme. E o curta La Luna é de uma beleza sensacional! Poxa vida, só ver esse curta teria pago meu ingresso. E o filme vem como brinde!


3 comentários:

Felipe Luiz disse...

pois é meu amigo, esse aí eu não curti não. achei a questão do choque de gerações fracamente explorado. e véio, na boa, a princesa da Disney lançou uma maldição na própria mãe, foi isso msm?? haha. o rei e a rainha são ótimo personagens, as paisagens e a música são fascinantes, mas a Merida.. concordo contigo, o curta "la luna" é ótimo! valeu o ingresso, o longa foi mesmo um brinde..

abraço!!

andreia inoue disse...

Nao fiquei muito empolgada para assistir valente.Apesar de adorar tudo o que a pixar ja produziu, esse nao me atraiu.
:/

Anônimo disse...

Achei sensacional. Não é o melhor da Pixar, como você disse, mas não deixou nada a desejar. História intrigante, emocionante e claro, muito engraçada com os três pestinhas.